Eduardo defende demissão de professor que exibiu vídeo LGBT

“Que sirva de exemplo para não tentarem sexualizar crianças em escolas”, destacou o deputado

Deputado federal Eduardo Bolsonaro Foto: Câmara dos Deputados/Pablo Valadares

Neste domingo (29), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse que o município de Criciúma (SC) acertou em demitir o professor que exibiu um vídeo de temática LGBTQIA + em sala de aula. O parlamentar deu declarações em uma rede social.

Vídeo pornográfico em escola de Criciúma. Não é a toa que o Brasil ocupa as últimas posições no PISA [tradução da sigla do Programa Internacional de Avaliações dos Estudantes].O município acertou em demitir o tal professor, que sirva de exemplo para não tentarem sexualizar crianças em escolas – escreveu Eduardo.

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro anunciou a demissão por meio de um vídeo, que foi publicado nas redes sociais na quarta-feira (25). Ele disse que não concorda com conteúdo “erotizado” e “v******* na sala de aula”.

O docente foi desligado porque reproduziu aos alunos o videoclipe da música Etérea, do cantor Criolo, que apresenta temática LGBTQIA+.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação afirmou que o conteúdo, classificado como inapropriado, não faz parte do plano de ensino. Por isso, “medidas cabíveis em relação ao assunto foram tomadas, o profissional não faz mais parte do quadro de professores”.

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) irá investigar a conduta do prefeito de Criciúma (SC), Clésio Salvaro (PSDB), por conta da exoneração do professor. O procedimento, que foi instaurado na última quinta-feira (26), ficará a cargo do Promotor de Justiça Fred Anderson Vicente, da 5ª Promotoria de Justiça, com atuação na área da cidadania e direitos humanos.

O MPSC informou que irá apurar se a exoneração do servidor ocorreu dentro dos limites legais.

Publicação do parlamentar Foto: Reprodução/Twitter

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: