TSE descarta 83,4 mil urnas eletrônicas após ‘fim da vida útil’

Equipamentos já passaram de 10 anos de funcionamento

Em meio a questionamentos sobre a segurança das urnas eletrônicas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou o descarte de 83,4 mil urnas. Recentemente o órgão lançou edital para a contratação de uma empresa para reciclar os equipamentos.

Segundo o TSE, as urnas foram usadas nas eleições de 2006 e 2008 e ficaram ultrapassadas. Elas não possuem o mecanismo de chip que garante a segurança digital. O Tribunal disse ainda que não há espaço nos depósitos para manter os equipamentos

A vida útil das urnas eletrônicas é de dez anos. Após esse período, elas são descartadas e recicladas. Essa medida reflete uma preocupação da Justiça Eleitoral com a preservação ambiental e, por isso, o descarte desse lixo eletrônico é realizado com grande cuidado – diz o site do TSE.

O edital prevê lance inicial de 79 centavos por quilo, que rendem no mínimo R$ 965 mil à empresa vencedora. A soma do peso das baterias, bobinas, mídias é de cerca de 1200 quilos. É proibido o reuso dos componentes do equipamento.

A empresa vencedora do certame deve dar às urnas e aos suprimentos inservíveis uma destinação ecologicamente correta, de acordo com a legislação ambiental, e deve entregar um relatório final ao TSE ao término do processo – diz o órgão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: