Professoras de Novo Hamburgo são premiadas em concurso nacional que destaca ações na pandemia

O trabalho desenvolvido na Rede Municipal de Ensino de Novo Hamburgo foi destaque em premiação nacional novamente. Desta vez foi no Prêmio Educação Infantil: Boas Práticas de Professores durante a pandemia, concurso realizado pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal. A divulgação do resultado aconteceu na tarde de quarta-feira, 31 de março, e contou com seis projetos hamburguenses entre os 100 vencedores de todo o Brasil. “A pandemia apresentou muitos desafios para todos e foi preciso buscar alternativas no atendimento às crianças. Reconhecimentos como estes reforçam a qualidade da educação pública de Novo Hamburgo”, comemora a secretária de Educação, Maristela Guasselli. As professoras de Novo Hamburgo entre os vencedores são Mariane Lunardi e Cleonice Ledesmo, da EMEI A Bela Adormecida; Jéssica da Cruz, da EMEI Vivendo e Aprendendo; Cristiele dos Santos, da EMEI Joaninha; Paola Silveira e Catiana dos Santos, da EMEI João de Barro, e Gisele Viegas e Viviane Heck, da EMEI Caracol.

Desafios da Educação Infantil em tempos de pandemia

Diante do contexto da covid-19, com a necessidade de distanciamento social como estratégia no combate à transmissão do vírus, foi preciso adotar o ensino remoto, com atividades realizadas a distância. Neste cenário, como forma de enriquecer o repertório dos professores com possibilidades de ações, os Núcleos de Educação Infantil e de Formação Continuada da Secretaria de Educação (SMED) realizaram encontros formativos para contribuir com os processos e práticas remotas oportunizadas às famílias e às crianças. A partir de reflexões e discussões, foram elaboradas estratégias para que a escola continuasse viva na vida das crianças, mesmo com o distanciamento físico. Estas ações buscam estimular o desenvolvimento saudável e a aprendizagem durante a pandemia. “As propostas foram planejadas de modo personalizado, com investigações feitas pelas crianças que respeitassem tanto os materiais e dispositivos tecnológicos de acesso quanto o tempo de cada criança e disponibilidade de cada família”, explica a coordenadora de Educação Infantil, Luciane Varisco Focesi.

Sobre o prêmio

O prêmio foi destinado a professores de Educação Infantil da rede pública de todo o Brasil. As práticas concorrentes precisavam ter sido realizadas entre março e novembro de 2020 e estar alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O objetivo da premiação é valorizar a Educação Infantil e reconhecer a importância dos profissionais dessa área, além de evidenciar as boas práticas realizadas no país no contexto da COVID-19. Os projetos foram avaliados a partir de três critérios: Garantia dos direitos das crianças, Garantia da aprendizagem e adaptabilidade e Apoio e vínculo com as famílias. A escolha dos vencedores foi feita por um grupo de especialistas em Primeira Infância e Educação Infantil indicados pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Undime e Fundação Itaú Social. Os projetos vencedores participarão de curso de formação criado pelo Instituto Singularidades além de R$ 1 mil para cada professor.

Vencedores do Prêmio Educação Infantil: Boas Práticas de Professores durante a Pandemia

EMEI A Bela Adormecida

Professoras: Mariane Lúcia Lunardi e Cleonice Jardim Ledesma

Faixa Etária Zero

Projeto: Um pedacinho da escola em casa – Caixa de Tesouros

Durante o atendimento remoto, as professoras confeccionaram um kit com elementos naturais, madeira e tecido para cada um dos dezenove bebês. Cada material foi pensado, projetado e preparado com objetivo de proporcionar às crianças a oportunidade de realizarem suas investigações, assim como acontece na escola. A alegria estava estampada no rosto de cada bebê, era um pedacinho da escola indo para a casa e uma variedade de materiais não estruturados que os apoiariam em suas pesquisas.

EMEI Vivendo e Aprendendo

Professora Jéssica Teresinha Ross da Cruz

Mediação de leitura

Projeto: Plantar nutrir e colher

O projeto garante propostas nas quais as crianças, através de explorações, vivências e brincadeiras possam compreender e aprender sobre o mundo que as cercam, favorecendo suas culturas e ampliando seus conhecimentos por meio de significativas experiências de seu cotidiano.

EMEI Joaninha

Professora: Cristiele Borges dos Santos

Faixa etária 2 anos

Projeto: Vamos cultivar batata-doce?

Os professores gravaram um vídeo para propor a experiência e, com os retornos individuais das crianças, criou-se um diário no PowerPoint, depois esses registros se estenderam para a criação de uma conta no Instagram para compartilhar com a comunidade escolar as descobertas e experiências das crianças. Foi feito propostas de desenho de observação, modelagem com argila, criação de espaço de observação, observação com lupa, conversas individuais e em grupo online, conversas sobre o desenho e produção de pigmento com as folhas da batata.

EMEI João de Barro

Professoras: Paola Winter Silveira e Catiana dos Santos

Faixa Etária 2 anos

Projeto: Investigação com Elementos da Natureza

Novos tempos e formas de se comunicar surgiram com a suspensão do atendimento das crianças por conta da pandemia. Utilizando recursos naturais de fácil acesso, as professoras se reorganizaram e convidaram as famílias para esse novo tempo, um novo trilhar de passos para revelar a infância. As famílias se tornam parceiras, ofertando seus olhares e vozes para acompanhar os processos de aprendizagem, descobertas e investigações. Nesse contexto, se tornaram protagonistas na organização das diferentes propostas e interações enviadas pelas professoras, e na realização de registros potentes.

EMEI Caracol

Professora: Gisele Borba Viegas

Faixa etária 3 anos

Projeto: Criança e Natureza

Com o objetivo de diminuir o tempo das crianças em frente às telas e oportunizar momentos interativos com o meio ambiente de forma a instigar a investigação e as descobertas, foi criado o Livro da Natureza. A obra foi construída através de desafios lançados às crianças para que buscassem em seu entorno meios de explorar elementos naturais, para assim construir hipóteses e juntos descobrir fatos e tecer memórias. O livro foi dividido em cinco capítulos e aborda temas como pássaros, animais domésticos, água, árvores e desenvolvimento das plantas.

Professora: Viviane Zimermann Heck

Faixa etária 2 anos

Projeto: A natureza que vive na casa – Mudanças e transformações através do tempo

A prática de investigação junto às crianças e suas famílias teve como enfoque a observação do tempo nas mudanças que acontecem na natureza que vive na casa. Essa escolha foi oriunda das partilhas de momentos das crianças em hortas, quintais e outros espaços da natureza. Como forma de restituir a memória do processo investigativo junto às crianças, foram construídas mini-histórias para narrar as partilhas das famílias a partir das ações das crianças. Muitos foram os relatos dos pais que passaram a “ver com outros olhos” as ações das crianças, percebendo o protagonismo e o quanto de sentido e significado tinham na aprendizagem que estava acontecendo.
Imprensa Prefeitura de Novo Hamburgo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: